Emmanuel Sócrates

Proprietário e Professor
Entre em contato

A trajetória de Emmanuel Sócrates pela dança de salão iniciou em 1998 na Casa de Dança Walter Néry, formado como professor nos ritmos: Samba de Gafieira, Soltinho, Bolero, Cha cha cha, Forró, Salsa e Merengue. Durante toda a sua carreira sempre buscou a excelência, participando de diversos workshops, cursos de formação de professores e congressos de dança nos quais teve a oportunidade de aprender com os melhores profissionais da dança de salão nacional e internacional. Em função disso pôde aperfeiçoar os ritmos já aprendidos, como também aprender novos ritmos.

No decorrer do tempo, teve a oportunidade de trabalhar como professor em academias renomadas de Brasília e atuar como parceiro e organizador nos mais diversos projetos como:

  • I, II, III e IV Campeonato Nacional de Forró;
  • II, III, IV e V Congresso Nacional de Forró;
  • I e II Festival de Dança de Salão do DF e Entorno;
  • I BSB Dança – Congresso de Dança de Salão de Brasília, que em sua primeira edição já se equiparou aos maiores congressos de dança de salão do país; e
  • I Festival de Tango de Brasília, cujo objetivo é divulgar o tango e os excelentes professores de Brasília.

Em 2008, teve a oportunidade de realizar o grande sonho de abrir seu espaço de dança, o Estúdio de Dança Emmanuel Sócrates, no qual pôde se dedicar ainda mais à dança de salão, ensinando, ensaiando e formando outros profissionais, dessa forma contribuindo para que a dança de salão seja ainda mais divulgada e apreciada pelo grande público.

Em julho de 2013, foi convidado pela embaixada do Brasil em Nairóbi no Quênia – África, para ensinar, coreografar e montar um espetáculo com a cia de dança local Safari Cats do Safari Park Hotel, composta por 34 dançarinos e acrobatas, sobre cultura brasileira, usando o Samba no Pé, o Forró, a Capoeira e o Axé music, na 2ª Expo Brasil, cuja realização se deu na África Oriental.

Ressalta-se que desde 10/11/2008 é cadastrado como Ente e Agente Cultural, nas áreas de Dança e Produção Cultural pelo FAC (Fundo de Apoio à Cultura) e no CAC (Cadastro de Ente e Agente Cultural).